Processos produtivos RoHS Compliant!

0 Flares 0 Flares ×
Processos produtivos RoHS Compliant!

Processos produtivos RoHS Compliant, uma realidade no mercado de produtos eletrônicos

As organizações possuem uma crescente preocupação com os impactos de suas operações e seus produtos para com o meio ambiente. Para indústria de montagem de placas e produtos eletrônicos isto não é diferente. Ao contrário, existem regulamentações que norteiam estas ações. Uma delas é a Diretiva RoHS.

A Diretiva RoHS é uma iniciativa da união europeia que visa banir ou controlar o uso de sustâncias nocivas ao meio ambiente. Com a demanda por produtos eletrônicos cada vez maior, o descarte destes produtos também ocorre proporcionalmente, podendo afetar a saúde de nosso planeta. Pensando nisso, a Diretiva RoHS visa minimizar os impactos ambientais de seus produtos e processos, evitando o uso de substâncias sabidamente prejudiciais.

Embora esta seja uma determinação oriunda e amplamente difundida na Europa, o mundo em geral tem cada vez mais aderido a estas práticas. As indústrias precisam portanto, estarem preparadas para atender a estes requisitos. Para isto, as empresas devem desenvolver processos produtivos e uma cadeia de suprimentos capaz de suprir esta demanda. Produtos e processos que atendem a Diretiva RoHS são chamados de RoHS Compliant.

Tornar-se capaz de realizar processos produtivos RoHS Compliant passa por etapas de capacitação de pessoas, pois o processo requer operação, manuseio, segregação e tratamentos diferenciados. Também requer adaptação de estrutura, dispondo de espaços, equipamentos e ferramentas específicas para este processo, desenvolvimento de cadeia de suprimentos sob as mesmas condições de atendimento RoHS Compliant e constante monitoramento do processo, para garantia da conformidade com esta diretiva.
Dentre as substâncias banidas pela diretiva RoHS, uma das que se destaca para a indústria eletrônica é o chumbo. O chumbo é um dos componentes utilizados na formação da liga de solta, combinado a outro metal, o estanho. Basicamente a função do chumbo na liga de solda é baixar o coeficiente de temperatura durante o processo de soldagem. Como este componente é banido na Diretiva RoHS, o metal que entra em sua substituição é a prata. Esta substituição trás consigo a necessidade de uma série de ajustes e controles no processo, pois os insumos e ferramentas não podem ser compartilhados entre os processos com e sem chumbo, também chamados de processos tin lead e lead free, respectivamente. O coeficiente de temperatura neste caso também é alterado, necessitando adequação de setup de fornos e máquinas de solda.

Muito ainda pode ser falado sobre processos RoHS Compliant, com aprofundamentos técnicos sobre controles de processo, detalhamento das substâncias banidas, práticas da indústria, dentre outros subtemas, o que podemos abordar em artigos futuros.

No momento, o importante é saber que, se seu produto requer processo RoHS Complaint, busque por parceiros que tenham conhecimento sobre o tema e que demonstre capacidade para execução deste requisito.

A União Europeia é rígida na verificação de requisitos para produtos RoHS Compliant e uma falha neste processo pode trazer ônus às empresas, podendo acarretar em grandes montas financeiras.

A Enterplak possui experiência com montagem de placas e produtos eletrônicos, incluindo produtos RoHS Compliant para exportação. Se sua empresa necessita de um parceiro que atenda a estes requisitos, conte conosco.

Até a próximo artigo!

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Email -- 0 Flares ×

Quer saber mais?

Entre em contato com nossos especialistas.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 LinkedIn 0 Email -- 0 Flares ×